Demitido! O que fazer agora?

Fui Demitido! O Que Faço Agora?

“Fui demitido!” – É…  Aquele momento que você tanto temia, chegou. “O que faço agora?” Veja as perguntas que tenho recebido, e os 7 principais conselhos que tenho dado:

“Estou desesperado!” – “Que opções eu tenho?” – “Essa é a única coisa que sei fazer para ganhar a vida!” – “Não sei fazer nada além disto!”

“Sempre me senti confortável fazendo o que faço, por isso não me preocupei em aprender outra coisa!”

Assista “quem mexeu no meu queijo”, e vai entender o que significa “zona de conforto”.

“Eu não me preparei para isso, não estava pronto!” – “Lógico que eu estava percebendo o momento ruim, a crise financeira, o aumento do desemprego, meus colegas de trabalho sendo demitidos, parentes, amigos…” – “Eu acreditava que esse momento ruim iria passar, e que eu não seria atingido.”

“Quanto tempo vai durar esta fase ruim?” – “Preciso saber, para ver se minhas reservas financeiras são suficientes.” – “Como sustentar a mim e a minha família, até conseguir novo emprego?” – “O que devo fazer até lá?”

Ok, seu setor de Recursos Humanos, ou seu supervisor, te chamou para “conversar”. Aquela conversa fatídica, que você tanto temia, aconteceu. Aquele momento em que, logo no início da conversa, você já imagina o que vem por aí: “Bem, infelizmente …”.

Por mais amigável e compreensivo que o colega do setor de recursos humanos tente parecer naquele momento, ou o seu supervisor, provavelmente ele nunca será amigável e compreensivo o suficiente.

Demitido! O que faço agora?

by GRPH3B18

Mas, acredite: demitir alguém é tarefa que, nem supervisor nem profissional em recursos humanos jamais se acostuma fazer; salvo algumas poucas exceções. Portanto, nada de guardar rancor! Além do mais, isto não resolveria seu problema.

“Mas, o que então resolve meu problema? ”

Sinceramente, nesta hora nenhum conselho também parece ser bom o suficiente. Mas, é incrível como algumas palavras, que para alguns parecem ações lógicas e simples, para outros servem de extremo conforto e ajuda!

Bem, comecemos por olhar o problema de uma forma prática. Precisamos traçar um planejamento sobre como agir, e o que fazer a seguir. Uma coisa de cada vez. Para isso, tenho algumas sugestões:

  1. Almoço, um café, um almoço, um chopp… com ex-colegas de trabalho de outras empresas onde trabalhou. Comece conversando sobre amenidades, relembrando os velhos tempos em que trabalharam juntos. Encontre oportunidade para falar sobre suas aptidões atuais, o que estudou e aprendeu desde então, os projetos nos quais trabalhou, e os resultados que conseguiu. Atualize seus contatos: telefones, e-mails, endereço… Termine por deixar claro que você está em busca de novas oportunidades. Caso seu colega fique sabendo de alguma vaga com o seu perfil, ele se lembrará de você e talvez poderá te recomendar. Network é sempre muito importante, principalmente nestas horas.
  2. Gratidão: faça uma lista das pessoas com quem trabalhou. Mande e-mails para elas, e diga o quanto foi bom ter trabalhado e aprendido com elas. Pergunte, de forma sincera, como elas estão – isto é extremamente importante! Se seu e-mail for respondido, aproveite para resumir (eu disse, RESUMIR) o mesmo que teria dito durante um almoço. Lembre-se: não queremos cansar o colega com muita informação sobre você neste momento. Você quer que seu e-mail seja lido até o fim; então, precisa ser sucinto. Você não quer perder a chance de conquistar sua atenção, e de conseguir mais uma possível ajuda.
  3. Acorde cedo: faça exercícios! Isso vai fazer com que você consiga lidar com este momento de estresse mais facilmente. Sim – se engana quem acha que só se estressa, quem trabalha demais. A preocupação em encontrar outro emprego, antes que suas reservas financeiras se acabem; a pressão familiar, de amigos e dos vizinhos que “parecem te olhar de modo diferente” etc., também podem gerar estresse.
  4. Faça uma lista de suas despesas periódicas e costumeiras. Separe o que é realmente necessário, do que você pode viver sem. Encontre alternativas menos dispendiosas, e faça um mapeamento delas. O que puder cortar, corte! Planeje o uso de suas reservas financeiras, a curto e médio prazo, para pagar suas despesas. Não se trata de ser pessimista – é preciso ter “os pés no chão” neste momento. Quando você conseguir um novo emprego, ou uma nova fonte de renda, vai poder voltar a usar seu dinheiro como sempre, se quiser. Ou, então, aproveite para mudar seus conceitos, definitivamente, sobre como gasta seu dinheiro.
  5. Se suas tentativas de network não estão surtindo resultados, procure alternativas: trabalhar na internet, aprender coisas novas, tentar uma franquia, etc… Já pensou em escrever um livro? Acredite: dentre milhões de pessoas no Brasil, e em outros países falantes da língua portuguesa, há pessoas que gostariam de aprender uma atividade que você conhece e domina – você pode mesmo ganhar dinheiro com isso! “Mas, eu nunca fui bom em escrever.”. “Não faço ideia sobre o que é preciso para ter um livro editado.” Há cursos disponíveis para isso, online ou presenciais, que podem te ensinar. Lembre-se que estamos na era digital, e os e-Books são uma grande sacada. Imagine ter um livro seu sendo vendido nas principais livrarias da internet: Saraiva.com, Travessa, ou mesmo na Amazon.com!
  6. Se sua indústria não vai bem, procure indústrias alternativas: há atividades similares, em outros segmentos, onde sua experiência anterior poderá te dar vantagem sobre outros candidatos àquela vaga. Vá em direções completamente diferentes do caminho que estava acostumado a percorrer. Por mais que a mudança te cause medo e insegurança, trata-se de uma questão de sobrevivência e nisto o animal, racional ou não, é inquestionavelmente muito bom – você pode se surpreender com você mesmo(a)!
  7. Treinamentos presenciais ou cursos online, pagos ou gratuitos – há vários disponíveis. Veja esta recomendação no artigo Não deixe o estresse comprometer sua carreira. Descubra cursos que tenham a ver com sua área de atuação, se assim preferir. Aproveite seu tempo livre para aprender outro(s) idioma(s): há cursinhos rápidos, presenciais ou online, que poderão te dar uma base razoável, e aumentar suas chances de uma recolocação no mercado. Descubra o que realmente gosta de fazer, e de que forma pode ganhar dinheiro fazendo isso – com o menor investimento possível.

Pense em alternativas! Seja criativo, pense fora da caixa – pense diferente!

Você já conhece o eBook do Claudio? Então, veja agora => AQUI.

Claudio Cordeiro

15+ anos Gestor de Pessoas em grandes multinacionais. Especialista em Direito do Trabalho.

Últimos posts por Claudio Cordeiro (exibir todos)