escutar as pessoas

Se Você Sabe Escutar, As Pessoas Querem te Contar

Escutar consiste em saber o que o outro disse e quis dizer, e em deixar o outro à vontade para isso. A maioria das pessoas conhece, naturalmente, as técnicas do escutar corretamente: não interromper, prestar atenção nas entrelinhas, ser capaz de aceitar pontos de vista diferentes dos seus. O problema é que somente escutamos bem quando queremos ou temos que escutar. O que a maioria de nós precisa aprender é a fazer isso quando não queremos. Lembre-se: escutar não significa que você aceita ou que aceitou o que foi dito. Você simplesmente escutou.

Três Tipos de Problemas ao Escutar

  1. O primeiro é: você não sabe escutar – este é o problema mais improvável.
  2. O segundo é que você sabe como escutar, mas você simplesmente não escuta ninguém. Isso é um pouco mais provável.
  3. O terceiro é que você escuta intensionamente alguém, outros você escuta de forma neutra, e outros você não escuta nada do que dizem. Este é o problema mais provável. Para fazer um teste: você escuta seu chefe? seu diretor(a)? sua mãe/pai? seu filho(a)? padre/pastor(a)? melhor amigo(a)? mentor(a)? marido/esposa? Algum deles já te cumprimentou ou agradeceu por você escutar o que diziam? Se a resposta pra qualquer dessas perguntas é sim, seu problema é: “audição seletiva”. Você sabe como escutar; o que acontece é que você liga e desliga essa sua capacidade.

Como Saber se Você Sabe Escutar?

Primeiro, lembre-se do básico: sua boca fica fechada. Quando você abre sua boca pra dizer alguma coisa, seus ouvidos se fecham automaticamente.

Você faz contato visual. Toma notas. Não faz carrancas ou fica impaciente.

Como a pessoa sabe se você entendeu? Você resume o que ela disse para satisfazê-la.

Como a pessoa sabe se você aceitou ou rejeitou o que ela disse? Você diz pra ela. Se rejeita, explica suas razões.

Quebrando o Clima

Não interrompa antes que a pessoa tenha terminado. Não sugira palavras enquando ela pensa no que vai dizer ou quando faz uma pausa. Não termine frases pra ela. Não fale: “Sei… eu sei disso.” “Sim, eu sei o que você tá querendo dizer com isso.” “Sim, eu já ouvi isso antes.”

Se seu tempo disponível for muito curto, você pode dizer: “Deixa eu ver se to entendendo…” ou “Será que a gente pode resumir pra gente ganhar tempo?”

Resumindo: se você chega logo a soluções, conclusões, afirmações, você acaba quebrando o clima de uma boa conversa. Você já disse o que pensa.

Escute primeiro, resolva depois.

Perguntas

Bons ouvintes fazem muitas perguntas para entender bem. Perguntas analíticas. Perguntas esclarecedoras. Confirmar, do tipo: “é isso que você quer dizer?”

Faça mais perguntas do que você faz agora, e mais, até que a pessoa dê sinais de que você está realmente prestando atenção.

Audição Seletiva

Quem você escuta? Quem você não escuta? Que detalhes fazem a diferença? Nível? Idade? Habilidades? Inteligência? Como você/diferente de você? Sexo? O ambiente? Suas necessidades? Tempo disponível? Raça? Quem eu preciso/não preciso? Quem tem algo a oferecer/nada a oferecer?

Desafie-se à pratica de escutar a quem você normalmente não escuta. Procure conteúdo nisso. Separe “conteúdo” da “pessoa”. Procure valores em todos que você escuta.

Consumindo Demais Seu Tempo

Para aqueles que você não tem tempo para escutar muitos detalhes, vire sua “chavinha” para o modo “professor”. Tente ajudá-los a moldar seus discursos pra você, de uma maneira mais aceitável. Interrompa para resumir. Diga para serem sucintos na próxima vez. Que tragam mais/menos dados.

Bons ouvintes não dão sinais de que não estão prestando atenção ou que não estão interessados. Coloque-se no ponto-morto, concorde com a cabeça, faça perguntas, ofereça ajuda.

Sob Ataque

E se você estiver sendo criticado? E se a pessoa estiver errada em suas afirmações? As regras permanecem as mesmas. Você precisa tentar permanecer calmo ao ouvir feedbacks negativos.

Nesse momento, não cabe a você aceitar ou recusar. Isso vem depois. Deixe que a pessoa ponha pra fora o que precisa dizer, mas não reaja diretamente. Escute. Confirme com a cabeça. Faça perguntas. Não julgue. Separe a pessoa do que você está ouvindo dela.

Sinais Não-verbais

A maioria das pessoas, quando não estão prestando atenção de verdade, demonstram isso em um ou mais sinais não-verbais. Pode ser um “olhar pro nada”, agitação corporal, dedo ou caneta batendo na mesa, interromper com frequência, aquele olhar de “estou ocupado”.

Muitos que convivem com você conhecem seus sinais. E você?

Pergunte pra alguém em quem você confie o que você faz quando ele/ela acha que você não está prestando atenção no que dizem. Tente eliminar esses sinais não-verbais.

Escutando Alguém que Você Não Gosta

O que outras pessoas que gostam desse alguém vêem nele(a)? Quais são suas forças? Vocês têm interesses em comum?

Fale menos e faça mais perguntas para dar a ele/ela uma segunda chance. Não julgue suas intenções – deixe pra fazer isso depois.

Falar é uma necessidade, escutar é uma arte” – Johann Goethe

Você já conhece o eBook do Claudio? Então, veja agora => AQUI.

Claudio Cordeiro

20+ anos Gestor de Pessoas em grandes multinacionais. Especialista em Direito do Trabalho.

Últimos posts por Claudio Cordeiro (exibir todos)